2017 CHEGOU PARA FAZER VOCÊ CRESCER

2017 CHEGOU PARA FAZER VOCÊ CRESCER

Todo mundo tem aquela série que assiste desde a adolescência e vocês devem estar se perguntando o que isso tem a ver com 2017, bem esse post não é totalmente direcionado a cultura nerd, mas busca mostrar o sentimento de muitos, em especial para os que nasceram em meados da década de 1990 em diante. Somos uma geração em que 2017 será um ano muito específico e um pouco difícil e que se relaciona aos anos de 2009/2010 e 2011  especificamente, isto por que foi nesses anos respectivamente que tivemos a estreia de The Vampire Diaries, Pretty Little Liars e Teen Wolf. Elas tem em comum, além de serem séries teens, o fato de que terão sua última temporada exibida em 2017.

No mundo nada confortável da adolescência, essas séries traziam tudo o que poderíamos querer: casais fofos, comédia e uma dose de trama e ainda arrancar lágrias de vez em quando. Quase sempre massacradas por críticas vazias que não levavam em conta a produção ou até mesmo o público-alvo. Como se a TV sobrevivesse somente de violência gratuita, comédias cheias de humor negro ou dramas vazios.

Os fãs, rotulados como adolescentes mimados ou birrentos e até mesmo como séries voltadas para meninas. Mas não é bem assim, é o grande problema do ar de superioridade e da babaquice nerd, sobreviver de rótulos e modelos falidos. A grande parte dos fãs não se encaixam nos estereótipos e estão sofrendo com o fim de série tanto quanto os fãs de GOT que andam por aí com o discurso vazio de que foi a melhor série já feita e só não gosta quem é burro ou não entende.

Há muito se foi o tempo em que eu me preocupava com rótulos e por isso decidi escrever esse texto, para passar o sentimento de muitos fãs e que as pessoas tem menosprezado. E esse texto fica ainda como uma indicação as pessoas que não conheceram essas séries por causa dos discursos vagos espalhados por aí. E por isso vou falar em resumo sobre cada uma e colocar algumas informações que só os fãs possuem.

THE VAMPIRE DIARIES

Com estreia na TV americana em setembro de 2009, a série aproveitava o embalo e o sucesso do vampiros no mundo dos cinemas, para trazer de volta uma versão mais próxima do que vimos nos anos 90, inspirada, inclusive na obra de L. J. Smith lançada nos anos 80. Somente inspirada, pois desde características físicas dos personagens a elementos essenciais a trama foram mudados. Isso se deve ao fato das obras da autora serem bem sucintas e dificultarem uma adaptação para a TV.

A protagonista é Elena Gilbert, uma adolescente que está repensando sua vida após a morte dos pais em um trágico acidente, temos ainda seu irmão Jeremy e sua tia Jenna, que passa a cuidar dos sobrinhos. Tudo muda com a chegada dos irmãos Salvatore na cidade, de um lado Stefan, que se torna colega de Elena e de outro Damon, que  desde a primeira aparição se mostra como o irmão mais velho malvado. Temos ainda Matt (ex-namorado de Elena) e Bonnie e Caroline (as melhores amigas).

[slideshowck id=1259]

A chegada dos dois em Mystic Falls muda não só a vida de Elena, mas de todos que a cercam. Damon e Stefan são vampiros, o mais velho guarda um grande receio do irmão, pois esse foi o responsável pela sua transição a vida de vampiro, uma acontecimento que ele nunca perdoou nem esqueceu. A mitologia da série é bem rica e envolve além de vampiros: dolpegangers (duplicatas), lobisomens, vampiros e híbridos (vampiro-lobisomem).

Logo no começa, Damon e Stefan começam a disputar o amor de Elena, pois ela é uma duplicata da única mulher que eles amaram: Katherine. A presença dos vampiros na cidade vai despertar ainda uma sociedade secreta mantida pelas famílias dos fundadores da cidade que a muito expulsaram os seres sobrenaturais de lá.

O desenrolar da série se dá em passos tão certos, tudo ao seu tempo e nos apresenta uma mitologia muito rica em relação a vampiros e lobisomens especialmente. Temos grandes vilões e alguns heróis improváveis, além de personagens secundários que são difíceis de não se apaixonar. The Vampire Diaries, ao contrário do que tentam mostrar por aí, é muito maior do que o triângulo amoroso formado por Damon, Stefan e Elena. Temos sangue, comédia, drama e romance no ponto certo.

Óbvio que nem tudo são flores, a série caiu um pouco de qualidade com o passar dos anos, até chegar num ponto em que acreditamos que todas as histórias boas já foram contadas e as que ainda poderiam acabaram sendo transferidas para o spin off The Originals (que é focada na família original, a primeira família de vampiros da história). As coisas ficaram ainda mais difíceis com a saída de Nina Dobrev (Elena) da série, mas com os amados personagens secundários que foram ganhando destaque com o desenrolar da história ela começava a ficar mais interessante novamente.

Só que infelizmente caminhamos para o adeus e o episódio da série e da 8° temporada chegou e para nós fãs não está sendo nenhum pouco fácil. Ainda mais que Nina fez a sua mínima obrigação de moral de retornar, mas não foi o suficiente para dar a nossa série o final digno que ela merecia

A verdade é que The Vampire Diaries transcendeu a concepção de série teen e por isso resistiu durante tantas temporadas, mas agora é hora de dizer adeus e para os que acompanham desde o início e que era adolescentes na época da estréia é também um ritual de passagem, significa deixar um pedaço da adolescência para trás.

PRETTY LITTLE LIARS

Em 2010 tivemos a estréia de Prety Little Liars, levemente baseada na série de livros homônima, a série de TV prometia ser uma versão teen de Desperate Housewives com uma pouco do terror de Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado. Promissor, não? Infelizmente a execução não foi tão boa, mas a série começou bem e assim foi durante muito tempo.

A série começa um ano após o misterioso desparecimento de Alison DiLaurentis, a pacata cidade de Rosewood parece finalmente conseguir seguir em frente. Mas para a família e amigos de Alison as coisas não vão tão bem, em especial ao seu grupo de amiga: Aria, Spencer, Emily e Hanna. As quatros são as protagonistas da série e através da percepção delas começamos a conhecer melhor Alison e descobrir que muitas pessoas na cidade possuem motivações para querer a queen-bee morta, até mesmo entre as liars (apelido dado pelos fãs as protagonistas).

Na primeira temporada, em especial nos flashbacks temos um drama adolescente com algumas doses de comédia ao bom estilo de Mean Girls, Alison era uma espécie de Regina George de Rosewood High e ninguém escapou ileso de suas maldades.

Se Alison era a queen-bee, tínhamos ainda em seu grupo: Spencer Hastings a mais inteligente e a caçula de duas filhas de uma família bem sucedida. Aria Montgomery, sensível e romântica, sendo a mais velha de um casal de irmãos e de uma família onde as coisas aparentemente vão bem. Hanna Marin é filha única e precisa lidar com a situação nada boa da família após o divórcio dos pais, além dos traumas do passado, especialmente os da época em que era obesa e também uma amante da moda. E por último, Emily Fields, uma atleta e filha única que quase não vê o pai por ele ser um soldado e tem que lidar com a mãe super-protetora e sua sexualidade e a antiga paixão que nutria por Alison.

[slideshowck id=1310]

 A amizade das liars não era mais a mesma desde o desaparecimento da amiga, o que torna claro que elas são uma mistura improvável e inconstante e que Alison era o único motivo que as mantinha juntas. Tudo muda quando as quatro começam a receber mensagens misteriosas de alguém que se denomina “A”, essa pessoa sabe, aparentemente, todos os segredos mais sombrios delas, alguns dos quais somente Alison poderia saber.

Em razão desses acontecimentos as quatro precisam se unir novamente para se defenderem e descobrir quem está por trás das mensagens. A situação fica ainda mais tensa quando “A” começa a colocar a vida de pessoas em risco e também a reputação das protagonistas. Elas partem em busca de mais informações sobre o passado de Alison e começam a perceber que a não sabem nada sobre a amiga e que existem mais suspeitos do que elas poderiam imaginar.

Em Pretty Little Liars é dificil odiar alguém, pelo menos a princípio, exceto Alison, o ódio por ela será cultivado ao longo da série, mas ainda assim sentimos pena do trágico destino que ela parece ter tido. Não que as quatro protagonistas sejam boazinhas, ou legais, é que quanto mais conhecemos os personagens mais sentimos empatia e compaixão. Os demais, em especial os que sofreram com as maldades de Alison, são impossíveis de detestar, mesmo que se tornem pessoas ruins ou vilões.

Com as liars as  coisas são um pouco diferentes, elas ajudaram, mesmo que por omissão, Alison a fazer grande parte das maldades, mas ainda assim a vingança de “A” parece ser cruel demais paras coisas que elas fizeram. E estamos falando de uma série voltada para adolescentes e de protagonistas que dão vidas a jovens e a juventude é cheia de erros e falhas, não podemos nutrir ódio por isso.

Estamos falando sobre uma série para adolescentes, em especial, mas não limitado ao público feminino e na época da estreia eu tinha 14 anos, foi bom acompanhar e amadurecer assistindo a série. Hoje aos 21 não sinto tanta vontade em assistir, mas sinto como que um  espécie de obrigação. Talvez, esta seja a mais teen de todas a séries que falo nesse post e o fim dela é quase que um completo ritual de passagem para a vida adulta.

Tanto que na última temporada temos o retorno dos personagens com um salto de 5 anos, agora elas são adultas e os fãs que começaram a série também, mas ainda assim não conseguiram fazer com que a série amadurecesse o suficiente para manter os fãs adeptos a mais temporadas.

Deixar a série para trás é perder  um pedaço imenso da adolescência, mas é um processo necessário.

TEEN WOLF

Teen Wolf é uma série que transcendeu o conceito de série teen e se tornou também uma série para adultos, mas nem sempre foi assim. As coisas eram diferentes  na época do lançamento, talvez por a série não se levar a sério e seguir estritamente sua proposta de ser teen possibilitou que os personagens fossem bem trabalhados e que crescessem junto ao roteiro.

Pois bem, acompanhando a onde sucesso de outras histórias com lobisomens e vampiros tivemos em 2011, numa leve adaptação do filme homônimo de 1985, a estréia de Teen Wolf, uma série que contava a história de Scott McCall um estudante do ensino médio da pacata Beacon Hills, sua vida muda completamente quando ele e seu amigo Stiles estavam na floresta em busca de um corpo e é mordido por um lobisomem. Agora ele terá que conviver com essa nova realidade.

A trama se desenvolve tendo lobisomens e caçadores de lobisomem como foco, bem como as dificuldades de Scott em seguir a vida e controlar suas novas habilidades. Também mergulhamos fundo na história de novos personagens e na mitologia dos lobisomens.

A chegada de novos personagens a cidade faz com que Scott comece a pensar se ser um lobisomem é uma dádiva ou uma maldição. A disputa pela liderança entre a matilha e a guerra entre os caçadores e os lobisomens mostram a ele que ninguém em Beacon Hills está a salvo, nem mesmo sua família.

[slideshowck id=1439]

Ao longo da série conhecemos personagens que começamos a adorar e que infelizmente se vão, mas temos também aqueles coadjuvantes que amamos e que sempre vão estar por aqui. Teen Wolf é assim, uma série que te cativa pelos personagens bem construídos, seja para amar ou odiar, mas todos bem trabalhados. Destaque para Stiles, Lydia, Derek, Allison, Isaac e Kira. Sobre esses personagens, não podemos deixar de observar que o Stiles (Dylan O’Brien) fez bem mais sucesso com os fãs do que o protagonista, muito se deve a construção do seu personagem que fez com que fosse adorado por todo o fandom.

A vida é assim, nada dura para sempre e por isso a 6° temporada será a ultima da série e a séries finale será no episódio 100 que está mais perto do que nunca, as gravações já terminaram. Só nos resta agora preparar para dizer adeus e torcer para que seja melhor do que a de TVD.

Nós fãs que passamos toda a nossa adolescência acompanhando essas séries teremos agora que dizer adeus e muito mais, teremos que encarar a vida adulta e por isso 2017 parece ser o ano que chegou para nos fazer crescer. Cada séries finale desse levará um pedaço da nossa adolescência junto, não tem como saber o que irá sobrar quando todas tiverem acabado.

Lady Hortencia

20 e poucos anos, estudante de Direito, curte um bocado de cultura nerd e artes visuais, nas horas vagas cuida da sede desse Conselho e tenta manter tudo em ordem

More Posts

Commentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *