Resenha | Harry Potter e a Câmara Secreta

Resenha | Harry Potter e a Câmara Secreta

São as nossas escolhas, Harry, que revelam o que realmente somos, muito mais do que nossas qualidades.

Continuando a minha leitura da saga Harry Potter me deparei com um livro mais sombrio e mais complexo, a Câmara Secreta foi até mais ou menos a metade um teste de paciência para mim, mas uma das mais sábias escolhas que fiz na minha vida foi sem duvida terminá-lo, pois com o passar das páginas o livro foi evoluindo e melhorando para o mesmo nível dos demais da saga.

Título Original: Harry Potter and the Chamber of Secrets
Editora: Rocco
Autor: J. K. Rowling
Tradução: Lia Wyler
256 páginas.
Sinopse: Os Dursley estavam tão anti-sociais naquele verão, que tudo o que Harry queria era voltar às aulas da Escola de Bruxarias de Hogwarts. No entanto, quando já terminava de fazer suas malas, Harry recebe um aviso de um estranho chamado Dobby, que diz que um desastre acontecerá caso Potter decida voltar à Hogwarts. Harry não liga para aquela mensagem e o desastre realmente acontece. Naquele segundo ano estudando em Hogwarts, novos horrores surgem para atormentar Harry, incluindo o novo professor Gilderoy Lockhart e um espírito chamado Moaning Myrtle, que assombra o banheiro feminino, além de olhares indesejados da irmã mais nova de Ron Weasley, Ginny. Todos esses problemas, no entanto, parecem menores quando o verdadeiro problema começa e algo transforma os alunos de Hogwarts em pedra. Dentre os suspeitos: o próprio Harry. Descubra o fim desta aventura emocionante.

Resenha

Neste segundo volume da saga acompanhamos o segundo ano de Harry na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, além as aulas, jogos de quadribol e do irritante Draco Malfoy e os demais alunos da Sonserina, vamos conhecer melhor o protagonista e descobrir suas habilidades como ofidioglota e também conhecer mais do mundo bruxo e do passado de Hogwarts.

Esse não é um livro mais sombrio que o primeiro por acaso, aqui conhecemos uma face obscura do mundo bruxo, o jeito que Rowling encontrou de trabalhar o preconceito e o sentimento de superioridade de uma maneira sutil, surge nesse livro a ideia de pureza de sangue, para aqueles bruxos de famílias tradicionalmente bruxas e a ideia de sangues ruins, para os filhos de trouxa que nascem bruxos, como Hermione e Lilian, a mãe de Harry.

Indo a fundo na história de Hogwarts conheceremos mais sobre os quatro fundadores e principalmente Salazar Sonserina (Salazar Slytherin), que acreditava que o ensino de magia deveria ser ministrado somente a “puro sangues” e por isso teria criado a lendária Câmara Secreta que poderia ser aberta somente pelo herdeiro de Slazar. Dentro dela estaria uma criatura capaz de eliminar todos os sangue ruins de Hogwarts, tornando-a pura como desejado pelo seu criador.

Tantas e tantas décadas após a fundação da escola ainda existem adeptos as ideias e Slytherin, principalmente entre os alunos da Sonserina, ideias que durante os anos de terror promovidos pelo bruxo das trevas Voldemort foram levadas a cabo pelos seus maléficos seguidores.

Se no primeiro livro Harry descobre mais sobre si mesmo e sobre a história de seus pais e do sacrifício feito por Lilian para salvar a vida do filho, neste ele alimenta duvidas sobre si mesmo e o real motivo de ter sobrevivido à maldição da morte conjurada por Aquele Que Não Deve Ser Nomeado.

Será que o real motivo de ter sobrevivido é porque ele e Voldemort são muito parecidos? Afinal, Harry e Voldemort eram mestiços, falavam com cobras, estavam destinados a grandes feitos (mesmo que alguns maus) e ainda havia a semelhança física com o jovem Tom Riddle, este livro, sobretudo é um livro de autodescoberta para o protagonista.

Fatos que acontecem nesse livro terão vital importância para o desenvolvimento e a conclusão épica desta saga, mas não se engane apesar de ser muito importante para saga é um dos livros mais chatos de serem lidos.

É um livro que me divide, informações importantes do enredo são arremessadas aos leitores de maneira rápida e em alguns capítulos, para que posteriormente tenhamos vários capítulos com narrativa cansativa e fraca e o desenrolar de fato da história só se dá depois da metade da obra.

E por isso este não está entre os meus livros favoritos da saga, mesmo que tenha tanta importância para o desenrolar da saga.

Lady Hortencia

20 e poucos anos, estudante de Direito, curte um bocado de cultura nerd e artes visuais, nas horas vagas cuida da sede desse Conselho e tenta manter tudo em ordem

More Posts

Commentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *