Power Rangers: O Filme | Você acredita em legado?

Power Rangers: O Filme | Você acredita em legado?

“Você fez uma coisa má, isso não significa que você seja uma pessoa ruim.”

Esta noite eu assisti a Power Rangers: O filme, poderia gastar algumas linhas contando do esforço que fiz para isso e o que me custou, no entanto, não gastarei palavras que não sejam para exaltar esse grande presente que 2017 nos deu. Abençoado seja toda a equipe por trás desse filme e seus esforços para nos entregarem uma obra linda e tão cheia de homenagens como esse filme.

Para todos os ligados nas notícias do filme, não há surpresas, quase tudo que foi dito a respeito dele está lá, a maior parte dos rumores e teorias também. Porém, não se decepcionem, não é o enredo que importa, mas a forma como ele se desenvolve e se tem uma coisa que foi bem feita aqui, foi o desenvolvimento.

A verdade é que o filme é nostálgico em seus momentos mais relevantes, na hora de morfar, usar os zords pela primeira vez e até mesmo em formar o megazord. Mas temos muita coisa nova na história e que desperta bons sentimentos, como se tudo fizesse sentido, apesar de ainda ser voltado ao público jovem, o filme consegue ditar um tom mais sério e maduro, mesmo que não seja sombrio e tenha ótimos alívios cômicos.

As informações abaixo podem ser consideradas spoilers.

Falemos um pouco sobre o filme em si, com o mínimo de spoilers possível: Jason é o ex-capitão do time de futebol da escola e tem que lidar com as consequência de uma decisão errada, Kimberly vê seu mundo de garota popular desabar após cometer um ato cruel. Triny tem que se acostumar a sua nova vida na Alameda dos Anjos e a pressão de sua família, em especial sua mãe, que não consegue aceitar filha como ela é, Billy é um garoto com transtorno do espectro autista que não sabe como lidar com a morte do pai e sofre por não ser aceito na escola e por fim Zack um garoto rebelde que dedica seu tempo em cuidar da mãe doente. Por coincidência os cinco acabam indo parar no mesmo lugar e hora em que ocorre um estranho acidente que irá mudar a vida de todos para sempre.

Em pouco mais de 2 horas, Power Rangers nos apresenta 5 estranhos com praticamente nada em comum, faz com que eles se tornem poderosos, amigos e se unam para derrotar um vilão e nada disso parece ser forçado. Tudo se dá no tempo certo e na dose certa para o sucesso, é quase impossível não desenvolver algum tipo de empatia com os nossos cinco protagonistas e seus dramas. Melhor ainda é a forma como eles são tratados na história, temos também o drama teen necessário, mas tudo na dose certa.

Temos a grande vilã Rita Repulsa e seu plano para trazer Goldar de volta e conseguir o Cristal Zeo, a personagem é bem desenvolvida e apresenta grandes motivações para ter se tornado vilã, é o tipo de personagem que gostaríamos de ter de volta em outros filmes. E esperamos outro, pois ao final temos o gancho perfeito para uma sequência.

Mas não estamos diante de uma obra realista, convenhamos, os Power Rangers sempre zombaram da realidade, aqui não é diferente. O que muda é que ao invés de saírem faíscas dos heróis, nós temos um universo diferente e que é bem explicado, de modo que aliens e robôs andarem sobre a Terra 65 milhões de anos atrás fazem sentido para a história.

Power Rangers não foi um filme para críticos ou amantes do cinema arte, ele foi um filme para nerd fãs e amantes dos heróis em suas diversas variações e como tal ele funciona muito bem. Ver a história que conhecemos ser contada com uma nova roupagem, melhores efeitos visuais e sem faíscas é um deleite a parte. Assim como ter a essência dos personagens que já conhecemos em novos rostos também.

O título do artigo foi totalmente proposital, pois o filme nos deixa esse sentimento, temos uma história que combina o melhor de Mighty Morphin com o melhor do que se busca hoje nos filmes de heróis: humanidade. Nossos heróis aqui estão em busca de sua própria identidade  e de aceitação.

Power Rangers é sobretudo um filme sobre legado, seja no legado que está sendo passado aos heróis na trama através de Alpha 5 e Zordon, ou seja, pela singela aparição de atores da série clássica Mighty Morphin na obra, como se eles passassem o manto para o novo elenco.

Neste legado nos depositamos nossas esperanças de uma franquia sólida e duradoura para nossos heróis.

Em suma, se você é um fã dos Power Rangers esse é um filme que vai valer cada segundo e centavo gasto com ele!

Lady Hortencia

20 e poucos anos, estudante de Direito, curte um bocado de cultura nerd e artes visuais, nas horas vagas cuida da sede desse Conselho e tenta manter tudo em ordem

More Posts

Commentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *