Prévia | Marvel VS Capcom: Infinite

Prévia | Marvel VS Capcom: Infinite

Vamos falar sobre a demonstração de Marvel vs Capcom: Infinite!

Oi eu o sou o Lipe! Uma das surpresas da última PlayStation Experience foi o anuncio de um novo Marvel VS Capcom, um dos mais famosos e divertidos crossover de luta do mundo, a serie sempre foi marcada pelo grande número de personagens, lutas com times, ação rápida e frenética, mas antes de falarmos do mais novo capitulo da franquia, vamos fazer um breve resumo dos jogos anteriores, vale lembrar que o jogo possui variantes, então a numeração não representa exatamente uma ordem cronológica da franquia, MvC é o quinto jogo da franquia porém é conhecido popularmente como o primeiro, os demais MvC2 e MvC3 são o sexto e sétimo respectivamente. Então vamos lá.

Marvel vs. Capcom: Clash of Super Heroes

O primeiro jogo da saga surgiu nos Arcades em 1998, ganhando versões para Dreamcast e PlayStation em 1999, o jogo trazia 15 personagens fixos contando com mais 6 personagens secretos, além disso era possível usar parceiros especias apenas para Strike com uma certa limitação de chamada, golpes especiais em dupla e a possibilidade de controlar dois personagens aos mesmo tempo, inovaram o gênero.

Marvel vs. Capcom 2: New Age of Heroes

O segundo capitulo e na minha opinião o melhor da franquia, saiu nos arcades de 2000 até 2009 em diversas plataformas incluindo iOS, o jogo trazia ao todo 57 personagens sendo que a metade tinham que ser liberados ganhando pontos no jogo, que valiam como moedas de troca.

O jogo trouxe a possibilidade de formar times de 3 personagens, sistemas clássico de algumas versões de The King of Fighters, o jogo também manteve sua marca de combates intensos e frenéticos, contando com personagens retrabalhados dando um ar de novo aos já presentes no anterior, o cenários eram algo com 2.5 a 3D, combinavam lindamente com os personagens em 2D, fora a trilha sonora rápida e empolgante bem  ao estilo pop.

Marvel vs. Capcom 3: Fate of Two Worlds

Chegamos em 2011 ao terceiro capitulo da saga, MvC3 diferente dos demais, é exclusivo de consoles não ganhando uma versão arcade. O jogo não tem uma grande em evolução em comparação a MvC2, o que muda drasticamente é o estilo gráfico mais realista mas sem perder o tom cartunesco graças a engine “MT Framework”.

Com 35 personagens alguns secretos e mais 3 via DLC, o jogo apostou em diversos modos online, e deixar os combates ainda mais intensos graças aos Hyper e Air combos, além do X Factor.

Apesar da pouca evolução o jogo foi muito bem recebido pela mídia e os jogadores, recebendo uma versão Ultimate para PC, PS4 e Xbox One em 2016, é basicamente mesmo jogo porem com melhores efeitos, taxa de quadros elevada e todos personagens liberados.

Marvel vs. Capcom: Infinite

Agora em 2017 vamos digladiar mais uma vez com personagens dessas duas gigantes, Marvel vs Capcom Infinite, é algo que todos queriam desde seu anuncio, todos animados pelo jogo depois de alguns teasers e gameplay. Na ultima E3 a Capcom anunciou que uma Demo de história estaria disponível, com o hype la em cima eu fui correndo conferir, porem o conto de fadas durou pouco, diferentes dos títulos anteriores que só melhoravam a serie, temos aqui um balde de água fria, mais gelado do que Hoth (o planeta, não o Jedi), MvCI é totalmente o contrario da serie, estamos voltamos a batalhas de duplas, até aqui sem problemas, mas o que estraga experiencia é justamente o combate que praticamente não existe, “ué como assim?”.

É isso mesmo! funciona basicamente assim, escolha um botão soco fraco, soco forte ou chute aperte esse único botão e não precisa fazer mais nada, combos e especiais são todos automáticos, dai é só mudar a sequencia dos botões.  Isso pode ser uma tentativa de tornar o jogo mais acessível? É… e isso é até legal, mas deixar acessível e remover o gameplay são coisas muito diferentes, não tem por que automatizar tudo, é frustante demais.

Os personagens graficamente estão entre razoáveis e péssimos (o que fizeram com a Chun Li?), aqui a inserção do X-Factor foi removida e agora temos as joias do infinito, que podem ser usadas de acordo com sua particularidade de poder, uma outra bomba! se você é fã dos X-Men talvez ficar longe do jogo, possa ser uma boa opção, segundo o produtor do jogo Michael Evans, não teremos nenhum dos mutantes para jogar de acordo com as palavras dele:

“Conversamos muito com a Marvel sobre isso, sobre o que iria acontecer. Os fãs modernos da Marvel talvez nem se lembrem dos X-Men, mas eles conhecem os Guardiões da Galáxia e o Pantera Negra. Você sabe o que quero dizer, a Capitã Marvel pode parecer uma escolha estranha, mas ela é fantástica. Ela se encaixa na jogabilidade. Ela se encaixa na história, e eles realmente querem impulsioná-la como uma forte protagonista feminina até a estreia do filme.”.

A aposta da Capcom e Marvel é apresentar aqueles personagens que temos vistos nos filmes recentemente, como os Guardiões da Galaxia e Ulton, sobre balanceamento é possível notar diferenças entre os personagens, mas é importante ressaltar que é uma demo, então não entrarei em muitos detalhes, o jogo ainda diverte, mas perde muito da sua essência de combates intensos e frenéticos, boa parte da ação fica nas suas animações, pois o combate está repleto de inimigos genéricos e sem graça.

Espero de verdade que a versão final melhore, mas com lançamento para 19 de setembro é quase certo que não, se você gosta de jogos de luta, recomendo apostar em outros jogos como os magníficos Guilty Gear Xrd REV 2 e Injustice 2.

Eu sou o Lipe e lembrem se, O PODER É DE VOCÊS!

Lord Lipe

Paulista de 26 aninhos, apaixonado desde que se lembra por games, comecei cedo com Atari foram horas e horas jogando Pitfall e Frostbite, passando para Master System, Super Nintendo, N64, PlayStation 1, PlayStation 2, X360, PlayStation 3, atualmente com um PlayStation 4 e 2DS. Adoro Tolkien e seu universo, animes shonen e claro o Superman!

More Posts

Commentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *